domingo, 21 de dezembro de 2014

OLHEM... TOQUEM...


Olhem para as minhas mãos e para os meus pés
e vejam que sou eu mesmo.
Toquem em mim
e vocês vão crer...

Lucas 24.39b (leia 24.36b-48) – NTLH

Lucas relata que os companheiros de Jesus estavam arrasados, de luto pela morte de Jesus em quem eles haviam colocado a esperança! O mundo havia desmoronado, os sonhos evaporados... Restou catar os pedaços que sobraram e refazer a vida! Mas, de repente, a vida apareceu, como fantasma, diante de seus olhos. Jesus morto se transformou em vivo! Era inacreditável! Para tirar as dúvidas deles, Jesus convidou-os a olhar as suas feridas e tocá-las. Jesus vivo se tornou uma experiência concreta, espantosa! Eles participaram como testemunhas oculares da vitória da vida sobre a morte.

No decorrer do tempo, a experiência com a pessoa de Jesus vivo se tornou dogma, artigo de crença. No lugar da experiência veio o credo. Jesus se tornou doutrina, sistema de pensamento, teologia. Com a institucionalização do movimento cristão a “crença certa” (ortodoxia) se confundia com a experiência. No decorrer dos séculos as igrejas se dividiam cada vez mais em questões de doutrina e práticas religiosas. Somos fruto deste fenômeno que continua até hoje. É difícil se identificar com Jesus sem se declarar afiliado a uma denominação ou tendência religiosa. Um cristão julga o outro pela crença, filiação religiosa ou práticas de culto. Somos pressionados a nos conformar com um determinado jogo de normas e ter lealdade institucional.

Lucas chega à essência da fé: ver e sentir, pessoalmente o poder da vida e falar por experiência própria e concreta – nada de teorias abstratas.

O livro “Atos dos Apóstolos”, na realidade, relata os atos contínuos de Jesus através daqueles que o viram e tocaram. Muitas pessoas conseguiram ver e sentir a ressurreição: o aleijado olhando para Pedro e João (3.12-19) e Paulo assistindo a morte de Estêvão e vendo uma luz e ouvindo uma voz na estrada de Damasco (9.1-6). São histórias de encontros transformadores que geravam vida nova.

A ressurreição continua, sendo uma realidade constante. Jesus prossegue a se manifestar em situações de desespero e sofrimento. Ele nunca aparece na hora, lugar ou maneira esperada. Não é programável. Jesus foge das limitações que as igrejas tentam impor. Basta estarmos atentos para vê-lo e tocá-lo na hora de necessidade.

Não estamos acostumados a ver Jesus na rua em pessoas que saem fora das nossas normas. A ressurreição pode se manifestar no sorriso de uma criança, num gesto de solidariedade de um estranho, numa música sagrada ou profana ou na inspiração na calada da madrugada. Foi numa crise com a instituição em 1985 que Jesus me apareceu por meio de um padre e uma freira (um casal). Morreram muitos preconceitos e ressuscitei para uma nova vida mais plena e aberta para as manifestações do Divino.

Continua o convite, “olhem... toquem”!...

 

Lucas 24:36-48 – Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH)

JESUS APARECE AOS DISCÍPULOS

Enquanto estavam contando isso, Jesus apareceu de repente no meio deles e disse:

— Que a paz esteja com vocês!

Eles ficaram assustados e com muito medo e pensaram que estavam vendo um fantasma. Mas ele disse:

— Por que vocês estão assustados? Por que há tantas dúvidas na cabeça de vocês? Olhem para as minhas mãos e para os meus pés e vejam que sou eu mesmo. Toquem em mim e vocês vão crer, pois um fantasma não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho.

Jesus disse isso e mostrou as suas mãos e os seus pés. Eles ainda não acreditavam, pois estavam muito alegres e admirados. Então ele perguntou:

— Vocês têm aqui alguma coisa para comer?

Eles lhe deram um pedaço de peixe assado, que ele pegou e comeu diante deles. Depois disse:

— Enquanto ainda estava com vocês, eu disse que tinha de acontecer tudo o que estava escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos livros dos Profetas e nos Salmos.

Então Jesus abriu a mente deles para que eles entendessem as Escrituras Sagradas e disse:

— O que está escrito é que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar. E que, em nome dele, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações, começando em Jerusalém. Vocês são testemunhas dessas coisas.

Nenhum comentário: