domingo, 11 de janeiro de 2015

PALAVRA, LUZ, AMOR E VIDA


A Palavra era a fonte da vida,
e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas.

João 1.4 (leia 1.1-18) – NTLH

 

João afirma que Jesus é a Palavra de Deus. Por meio da Palavra, Deus criou todas as coisas e nada foi feito sem Ele. Esta mesma Palavra dissipa as trevas e “ilumina todas as pessoas” que vêm ao mundo. A Palavra de Deus é viva, atuante e presente, cumprindo os desígnios divinos em toda a criação.

A Bíblia é testemunha da Palavra, não a Palavra em si. Dizer que a Bíblia é a Palavra de Deus é negar o que ela própria diz. A Bíblia, feita de papel e tinta por mãos humanas, é sujeita a manipulação. Ela é usada como pretexto para apoiar uma infinidade de dogmas e doutrinas, estabelecimento de normas e regas, formação de uma grande variedade de igrejas rivais e manipulação de homens e mulheres. Mas sua finalidade é outra: falar da Palavra que ilumina a humanidade.

Os seres humanos têm a tendência de criar ídolos e adorá-los como se fossem divinos. Muitos cristãos fazem o mesmo. Atribuem como sagradas à Bíblia, à Igreja, à estruturas eclesiais (episcopado), etc., sem perceber que todas estas coisas um dia deixarão de existir.

Jesus, a Palavra viva e eterna, não é manipulável. Há tentativas de manipulá-lo e limitá-lo a grupos exclusivistas. Mas Jesus é maior do que qualquer afirmação que podemos fazer a seu respeito.

O Evangelho de João dá testemunho a Jesus cósmico, acima de qualquer tribo, nação, raça, ideologia ou religião. Os outros três Evangelhos fazem mais ligação de Jesus com as tradições judaicas, com algumas aberturas para o mundo gentio. O Evangelho de João, escrito por último, apresenta Jesus muito ligado a toda a humanidade. Não é necessário conhecer os costumes judaicos para entendê-lo.

Existe uma Palavra só, mas ela não é necessariamente soletrada J-E-S-U-S, senão, seria impossível iluminar todas as pessoas. Como luz, a verdadeira Palavra chega a toda humanidade, independente da língua, cultura ou religião.

Mas muitas pessoas rejeitam a Luz. É possível soletrar corretamente J-E-S-U-S e rejeitar a luz da Palavra. Na atualidade, as pessoas que mais promovem guerra, preconceito e ódio, também soletram corretamente J-E-S-U-S e professam a fé cristã. Estas pessoas usam a Bíblia para promover a sua agenda de atitudes e atos contrários a luz da Palavra.

A luz da Palavra é amor!... Quem ama de verdade tem a luz e a Palavra habita neles / nelas. Os cristãos concordam, pelo menos de cabeça, que o coração do Evangelho é amor. A frase: “Deus amou ao mundo” é o Evangelho em miniatura.

Jesus não veio para estabelecer uma nova religião, nem reformar a velha. Isto seria limitar a Palavra a um grupo de privilegiados. A Palavra do Evangelho abre-se para o mundo todo. Pelo contraio, no decorrer da história, as igrejas levantam barreiras, barrando e separando as pessoas em categorias: salvas e perdidas, crentes e não crentes, eleitas e não eleitas, perdoadas e não perdoadas, boas e más, cristãs e pagãs, etc.

Pelo nosso agir solidário e o nosso falar sincero, temos o privilégio de apontar Jesus, como a Palavra que possa iluminar o caminho de todas as pessoas.

 

João 1:1-18 – Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH)

A PALAVRA DA VIDA

No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus. Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. Palavra era a fonte da vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.

Houve um homem chamado João, que foi enviado por Deus para falar a respeito da luz. Ele veio para que por meio dele todos pudessem ouvir a mensagem e crer nela. João não era a luz, mas veio para falar a respeito da luz, a luz verdadeira que veio ao mundo e ilumina todas as pessoas.

A Palavra estava no mundo, e por meio dela Deus fez o mundo, mas o mundo não a conheceu. Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu. Porém alguns creram nele e o receberam, e a estes ele deu o direito de se tornarem filhos de Deus. Eles não se tornaram filhos de Deus pelos meios naturais, isto é, não nasceram como nascem os filhos de um pai humano; o próprio Deus é quem foi o Pai deles.

A Palavra se tornou um ser humano e morou entre nós, cheia de amor e de verdade. E nós vimos a revelação da sua natureza divina, natureza que ele recebeu como Filho único do Pai.

João disse o seguinte a respeito de Jesus:

— Este é aquele de quem eu disse: “Ele vem depois de mim, mas é mais importante do que eu, pois antes de eu nascer ele já existia.”

Porque todos nós temos sido abençoados com as riquezas do seu amor, com bênçãos e mais bênçãos. A lei foi dada por meio de Moisés, mas o amor e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. Ninguém nunca viu Deus. Somente o Filho único, que é Deus e está ao lado do Pai, foi quem nos mostrou quem é Deus.

Nenhum comentário: