domingo, 8 de fevereiro de 2015

O MILAGRE DE SERENDÍPITE


Não trabalhem a fim de conseguirem
a comida que se estraga,
mas a fim de conseguirem a comida
que dura para a vida eterna.

João 6.27a (leia 6.24-35) – NTLH

A vida é uma busca. Todos buscam algo. Ao nascer, a nossa primeira busca é encher os pulmões de ar. A segunda, satisfazer a fome, mamando no seio da mãe. Sem procurar, encontramos, também, o leite do amor e carinho nos braços maternos. Dormimos com tranquilidade. Acordamos para continuar a busca de sustento e segurança no amor. Enquanto vivemos, a busca não termina.

A busca primitiva é simples: comida e carinho. Mas a vida vai se complicando. Nosso mundo cresce junto conosco. Abrem novas dimensões: responsabilidade em forma de exigências internas e externas, insegurança em forma de possibilidades de fracasso íntimo e perigo físico. Relacionamentos afetivos no âmbito social complicam. É fácil perder a noção da escala de valores e prioridades. Com facilidade a vida se torna apenas uma série de reações à situações imediatas, sem visão a longo prazo. Passamos apenas a sobreviver, não vivermos plenamente.

Mas a busca continua, as vezes confusa, podendo levar ao egoísmo, ambição exagerada, indiferença social, corrupção e violência. Com a ausência da dimensão espiritual, as pessoas se tornam “gulosas” pelo material, nunca satisfeitas, sempre querendo mais.

A crítica de Jesus à multidão foi que as pessoas estavam procurando apenas a próxima refeição, pão para o corpo, esquecendo o alimento para o espírito! Jesus nunca desprezou o “pão de cada dia”. Colocou-o como pedido legítimo de oração junto com o perdão, que é o pão espiritual. Sem o perdão, o pão de cada dia pode se tornar “veneno”, não alimentação.

Nem sempre buscamos as coisas certas. Ainda bem que Deus não atende todos os nossos pedidos... Um bom jeito de Deus castigar a humanidade seria ceder tudo que ela pede. Desastre com certeza!...

Acredito que algumas pessoas da multidão, mesmo procurando errado, conseguiram achar o “outro pão”. O Novo Testamento está repleto de tais exemplos. A mulher Samaritana foi ao poço buscar água: achou também a água da vida! O homem possesso, de Gerasa, que viu Jesus como ameaça, foi liberto do domínio dos espíritos maus! O aleijado, que procurava a cura no tanque milagroso de Betezada, foi sarado por Jesus! Outro aleijado, na entrada do templo, que pedia somente esmolas, achou a cura! Saul, que viajou para perseguir os seguidores de Jesus em Damasco, encontrou Jesus no caminho...

É o milagre, tipo serendípite, encontrar o que não procura. A mensagem evangélica é que o amor divino vem ao nosso encontro, mesmo quando buscamos outras coisas. A multidão procurava se alimentar apenas com o “pão de farinha”, sem saber que ansiava pelo pão do espírito. Jesus oferecia o “outro pão” também.

A mãe que leva a criancinha ao seio para oferecer o leite para o corpo lhe dá, também, alimento para o espírito na forma do amor e carinho. Precisamos de ambos. A vida se completa quando a busca pelo pão de trigo nos leva ao pão do espírito. É o milagre de serendípite.

 

João 6:24-35 – Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH)

 

Quando viram que Jesus e os seus discípulos não estavam ali, subiram nos barcos e saíram para Cafarnaum a fim de procurá-lo.

JESUS, O PÃO DA VIDA

A multidão encontrou Jesus no lado oeste do lago, e perguntaram a ele:

— Mestre, quando foi que o senhor chegou aqui?

Jesus respondeu:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês estão me procurando porque comeram os pães e ficaram satisfeitos e não porque entenderam os meus milagres. Não trabalhem a fim de conseguir a comida que se estraga, mas a fim de conseguir a comida que dura para a vida eterna. O Filho do Homem dará essa comida a vocês porque Deus, o Pai, deu provas de que ele tem autoridade.

— O que é que Deus quer que a gente faça? — perguntaram eles.

— Ele quer que vocês creiam naquele que ele enviou! — respondeu Jesus.

Eles disseram:

— Que milagre o senhor vai fazer para a gente ver e crer no senhor? O que é que o senhor pode fazer? Os nossos antepassados comeram o maná no deserto, como dizem as Escrituras Sagradas: “Do céu ele deu pão para eles comerem.”

Jesus disse:

— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: não foi Moisés quem deu a vocês o pão do céu, pois quem dá o verdadeiro pão do céu é o meu Pai. Porque o pão que Deus dá é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.

— Queremos que o senhor nos dê sempre desse pão! — pediram eles.

Jesus respondeu:

— Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede.

Nenhum comentário: