domingo, 5 de abril de 2015

RESSUSCITADOS JÁ


Vocês ressuscitaram com Cristo.
Portanto,
ponham o seu interesse nas
coisas que são do céu,
onde Cristo está sentado
ao lado direito de Deus.
Pensem nas coisas lá do alto
e não nas que são aqui da terra.

Colossenses 3.1-2 (leia 3.1-4) – NTLH

Acostumamos a pensar na ressurreição como um fato no passado remoto (Jesus ressuscitou) ou como esperança lá longe no fim dos tempos (todos serão ressuscitados). Mas neste texto, Paulo trata da ressurreição como tema da atualidade – já ressuscitamos com Cristo. A ressurreição é tema da atualidade, tendo profundas implicações para a nossa vida diária.

A linguagem bíblica é poética, simbólica e mística. É do espírito e não da ciência, da alma e não da cabeça. É impossível entendê-la ao pé da letra. As figuras usadas representam realidades muito além de si mesmas. O céu onde Cristo está sentado ao lado de Deus não é um literal ponto no espaço. O céu é um estado, não lugar. É um estado muito além da nossa realidade. As coisas “lá do alto” e “aqui da terra” também não se referem aos objetos que se localizam fisicamente. Ambas: “as coisas lá do alto” e as coisas “aqui da terra”, são valores e não objetos.

Ao ressuscitar com Cristo, o nosso interesse passa a ser dirigido por outro sistema de valores, não imediatistas (aqui na terra), mas, visando ao bem estar de todos a longo prazo (lá do alto). "Aqui na terra" representa a gratificação imediata e "lá do alto" representa a gratificação adiada, visando o bem maior. Em Jesus deixamos de pensar somente em nós mesmos aqui, agora, e passamos a pensar em todos a longo prazo. A ressurreição nos tira da tirania do reino do egoísmo imediatisto e nos coloca como cidadãos do universo e do Reino de Deus. Não somos mais indivíduos isolados, cada um cuidando só de si mesmo.

Em nossa cultura, os maiores valores são os valores materiais. O material está acima do ser humano. O deus do materialismo se chama "lucro". Os maiores templos são os “shoppings”, os sacerdotes, balconistas e os evangelistas, propagandistas. A felicidade eterna é alcançada através de compras. Em tudo isto o ser humano é massacrado. A “glória” é o acúmulo de riquezas materiais e poder. A "glória" do mundo exalta prédios suntuosos, grandes monumentos, projetos vistosos, máquinas poderosas de guerra e tudo quanto é sinal de riqueza, poder e “status”.

As igrejas, também, são tentadas e entram na dança do materialismo. São induzidas a construírem templos e outros monumentos grandiosos e disputar estatísticas de grandeza. Esforçam-se para serem as "melhores" e as "mais perfeitas". O “sucesso” dos pastores é medido pela estatística. Não alcançar as metas orçamentárias é pior do que deixar a igreja alheia dos problemas sociais da sua comunidade. A prosperidade das igrejas é medida pelo seu movimento interno e não pelo seu engajamento social na sua comunidade local.

A ressurreição com Jesus nos leva à dimensão duma outra "glória". Que dimensão é esta? É a valorização do ser humano como objeto do amor! A "glória" da ressurreição é colocar os objetos do amor divino acima de tudo. Jesus desprezou o poder e a riqueza para alcançar os necessitados. A "glória" de Jesus são pessoas libertadas da escravidão do materialismo e do orgulho, servindo ao próximo.

COLOSSENSES 3.1-4 – NOVA TRADUҪÃO NA LINGUAGEM DE HOJE 2000 (NTLH)

Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto, ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus.  Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra. Porque vocês já morreram, e a vida de vocês está escondida com Cristo, que está unido com Deus. Cristo é a verdadeira vida de vocês, e, quando ele aparecer, vocês aparecerão com ele e tomarão parte na sua glória.

Nenhum comentário: