domingo, 28 de junho de 2015

O ESPÍRITO DA VERDADE


Eu afirmo a vocês que isto é verdade:
Quem crê em mim fará as coisas que eu faço
e até maiores do que estas...
Eu pedirei ao Pai,
e ele lhes dará outro Auxiliador,
O ESPÍRITO DA VERDADE,
para ficar com vocês para sempre.

João 14.12,16-17 (leia 14.8-27) – NTLH

 

O Espírito de Pentecostes é o Espírito da Verdade, ou seja, o Espírito de Jesus. Seria a presença contínua de Jesus com seus discípulos em todos os tempos. Perpetuaria suas obras e ensinamentos. Neste sentido, Jesus não seria um único individuo, mas a sua presença seria multiplicada, estando presente e atuante onde estejam seus seguidores! Faria que cada cristão seja um “Jesus”, continuando suas obras e divulgando seus ensinamentos.

Jesus atuou dentro do contexto social, independente de estruturas religiosas. Sua igreja não se fechou dentro de quatro paredes (nem construiu capelas). Não se organizou em uma estrutura de poder e autoridade. Para Jesus, a verdade não era um conjunto de crenças que os outros deveriam aceitar para serem salvos. Era a convivência e comunhão com o “Papai” que contagiavam os outros e os libertavam dos poderes opressivos: materialismo, ambição pessoal, preconceitos e enfermidades.

A nossa tendência é fugir deste modelo. A igreja institucional que conhecemos hoje é a oposta aquela de Jesus. É a reprodução do judaísmo, batizado com outro nome e com outro conjunto de dogmas e normas de comportamento. A essência é a mesma. É mais fácil institucionalizar Jesus, fazendo-o “chefe de honra” da igreja. Ficamos livres para nos escondermos dentro da instituição, recipientes da salvação, administradores de uma estrutura eclesiástica, isolados do “povão”.

Será que somos “uma comunidade missionária a serviço do povo”? Ou somos uma comunidade a serviço de nós mesmos? Estando dentro da igreja, evitamos nos envolver diretamente com o sofrimento e o destino da grande parte da humanidade?

Imagine se cada cristão fosse um “Jesus”, solto no mundo!... Seria revolucionário cada crente procurar ser amigo dos pecadores em vez de ser aquele cara chato e moralista fazendo cobranças e exortações. É difícil imaginar uma escola de samba de crentes desfilando no sambódromo dias de carnaval, celebrando a criação de Deus e a beleza da natureza. Optamos em ser mais-santo-do-que-os-outros e nos escondermos em retiros espirituais ou distribuirmos panfletos evangelizantes para aqueles que estão curtindo e celebrando a vida, apesar dos sofrimentos e injustiças.

Ao receber o Espírito no batismo, Jesus não negou suas origens judaicas, simplesmente não deixou ser limitado por elas. Agia, livre, no mundo... Os seguidores de Jesus, ao receberem o Espírito Santo no dia do Pentecostes, continuavam ser judeus, mas ultrapassaram os limites que a tradição colocava. Agir no poder do Espírito da Verdade não implica mudança de religião. Implica “poder” para arrombar as barreiras institucionais das religiões. A obra de Jesus, ontem e hoje, não é promover a igreja, nem a religião. É viver a fé no mundo. O Espírito da Verdade nos dá a fé e o poder de “sair do barco” e andar em cima das “ondas turbulentas” no mundo atual. O Espírito da Verdade tem pouco a ver com a religião, mas tudo a ver com a nossa atuação no mundo.

 

João 14:8-27 – Nova Traduҫão na Linguagem de Hoje 2000 (NTLH)

Filipe disse a Jesus:

— Senhor, mostre-nos o Pai, e assim não precisaremos de mais nada.

Jesus respondeu:

— Faz tanto tempo que estou com vocês, Filipe, e você ainda não me conhece? Quem me vê vê também o Pai. Por que é que você diz: “Mostre-nos o Pai”?  Será que você não crê que eu estou no Pai e que o Pai está em mim?

Então Jesus disse aos discípulos:

— O que eu digo a vocês não digo em meu próprio nome; o Pai, que está em mim, é quem faz o seu trabalho. Creiam no que lhes digo: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Se vocês não creem por causa das minhas palavras, creiam pelo menos por causa das coisas que eu faço. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem crê em mim fará as coisas que eu faço e até maiores do que estas, pois eu vou para o meu Pai. E tudo o que vocês pedirem em meu nome eu farei, a fim de que o Filho revele a natureza gloriosa do Pai. Eu farei qualquer coisa que vocês me pedirem em meu nome.

JESUS PROMETE O ESPÍRITO SANTO

Jesus continuou:

— Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos. Eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Auxiliador, o Espírito da verdade, para ficar com vocês para sempre. O mundo não pode receber esse Espírito porque não o pode ver, nem conhecer. Mas vocês o conhecem porque ele está com vocês e viverá em vocês.

— Não vou deixá-los abandonados, mas voltarei para ficar com vocês. Daqui a pouco o mundo não me verá mais, mas vocês me verão. E, porque eu vivo, vocês também viverão. Quando chegar aquele dia, vocês ficarão sabendo que eu estou no meu Pai e que vocês estão em mim, assim como eu estou em vocês.

— A pessoa que aceita e obedece aos meus mandamentos prova que me ama. E a pessoa que me ama será amada pelo meu Pai, e eu também a amarei e lhe mostrarei quem sou.

Então Judas, não o Judas Iscariotes, perguntou:

— Senhor, como será possível que o senhor mostre somente a nós e não ao mundo quem o senhor é?

Jesus respondeu:

— A pessoa que me ama obedecerá à minha mensagem, e o meu Pai a amará. E o meu Pai e eu viremos viver com ela. A pessoa que não me ama não obedece à minha mensagem. E a mensagem que vocês estão escutando não é minha, mas do Pai, que me enviou.

— Tenho dito isso enquanto estou com vocês. Mas o Auxiliador, o Espírito Santo, que o Pai vai enviar em meu nome, ensinará a vocês todas as coisas e fará com que lembrem de tudo o que eu disse a vocês.

— Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.

Nenhum comentário: